Busca
                                                   Home  |  Fale Conosco 
» Canais

 

 

 

 

 

Notícias - Adamantina


Atualizado em 06-11-2018 as 12:15:53

Com índice em 3.83 e estado de alerta, Prefeitura anuncia campanha intensiva contra a dengue


Adamantina encontra-se neste momento em estado de alerta para evitar uma possível epidemia de dengue, devido ao Índice de Breteau – valor numérico que define a quantidade de insetos em fase de desenvolvimento – estar em 3.83 e o Índice Predial de porcentagem de imóveis com a presença de Aedes aegypti em 3, sendo que o limite máximo apontado pelo Ministério da Saúde é 4. Diante deste cenário preocupante, a Prefeitura do Município por meio da Secretaria de Saúde anunciou na entrevista coletiva realizada na manhã desta terça-feira (6) uma campanha intensiva para combate ao mosquito transmissor da doença, assim como da zika vírus e da chikungunya.
 
Ao iniciar as explanações, o prefeito Márcio Cardim (DEM) disse que a primeira medida era a reunião com a imprensa, representantes de associações de moradores e de entidades para expor a atual situação de forma que possam ajudar na divulgação e conscientização da população para aderir e colaborar com atitudes diárias preventivas nas suas residências e quintais. “Temos que agir agora para não virar uma epidemia. E vale lembrar que se aproxima o período de chuvas, entre o final deste ano e o começo do próximo, que é o mais crítico”, enfatizou.
 
A campanha projetada pelo Município traz uma série de ações, como mutirões e atividades de limpeza e orientação que serão promovidos praticamente todos os dias, de segunda-feira a sábado, além de material de divulgação, como panfletos, som de rua, propagandas em jornais, rádios e redes sociais.
 
De acordo com as informações passadas na reunião pela Francine de Brito Alves, chefe do Departamento de Controle de Zoonoses, neste ano, até julho, Adamantina teve registrados 9 casos de dengue em seres humanos. “O nosso índice de infestação (3.3) nos coloca em situação de alerta, mas se chegar a 4 o Ministério da Saúde prevê que estaremos em situação de risco, ou seja, basta uma pessoa contrair a doença para desencadear uma epidemia. Então, precisamos muito da ajuda da população neste trabalho”.
 
Entre os membros de associações de moradores, a vice-presidente da Vila Freitas Roseli Silva solicitou solução para os bueiros dos bairros que estão entupidos e têm gerado a aparição de escorpiões, mosquitos, pernilongos e outros bichos nas residências.
 
O secretário de Educação, Osvaldo José comentou ainda durante o encontro que as escolas municipais deverão fazer um trabalho de conscientização e prevenção junto com os alunos, bem como garantir a limpeza das próprias unidades.
 
“Segundo nossos levantamentos, não há uma região mais ou menos crítica. A situação de alerta é geral. Umas das principais dificuldades que enfrentamos no dia a dia, por incrível que pareça, é o fato de pessoas não autorizarem a entrada dos profissionais nas residências e quintais, assim como aqueles moradores que mantém a mania de acumular por longos períodos água – das chuvas, por exemplo – para molhar plantas, lavar quintais, entre outras finalidades. Estas atitudes são um perigo para a saúde da população”, ressaltou Francine.
 
Nos últimos 3 meses a Prefeitura de Adamantina emitiu 1.200 notificações para proprietários de terrenos, muros e calçadas abandonados. Destes, 120 foram multados por não limparem seu imóvel.
 
[Da Redação]
 





Últimas notícias

Desenvolvido por - Evolução Web - www.evolucaoweb.com.br
Copyright - FOLHA REGIONAL - PORTAL DE ADAMANTINA - Todos os direitos reservados